BANCO DE REDAÇÕES.

Desenvolvimento insuficiente prejudica redação

Folha de S.Paulo
O estudante faz uma leitura superficial dos fatos. Talvez seja esse o principal problema do texto. No parágrafo introdutório, no qual caberia a tese a ser defendida, está apenas a constatação de que a população brasileira está muito confusa diante das atitudes eticamente condenáveis perpetradas pelos governantes.

O desenvolvimento dessa idéia revela certo simplismo. É verdade que, mais uma vez, o dinheiro do povo está sendo desviado de seus objetivos e que os problemas crônicos do país- saúde, educação, desemprego e violência- continuam negligenciados. Ocorre, entretanto, que talvez não seja esse o foco da questão.

Estamos diante de uma situação complexa. O grupo que ora se encontra no poder simbolizava a esperança de renovação e, sobretudo, de compromisso com os anseios do povo. A frustração imensa que acomete as pessoas vem do sentimento de traição da confiança. Além disso, não se trata agora simplesmente de indivíduos que se aproveitam do poder para assaltar o erário e encher os próprios bolsos. Estamos diante da revelação de práticas absolutamente desrespeitosas à ética, como a compra de votos, que vem sendo chamada de "mensalão".

Se, por um lado, o conhecimento dos fatos nos faz desacreditar ainda mais da classe política, por outro- e isso talvez nos sirva de alento-, é ele que nos pode conduzir à construção de novos caminhos. Essa é a discussão contida na proposta de redação.

É importante que o redator assuma uma posição, seja qual for, e a defenda. O debate de idéias, bem como a proposição de hipóteses e ponderações, enriquece o texto dissertativo. A mera constatação dos fatos é insuficiente.

Ao dissertar, é preciso emitir opiniões e validá-las por meio de argumentos. É a capacidade de organizar um raciocínio que é valorizada na redação.

Convém deixar claro que uma opinião é um pensamento construído. Só temos opinião sobre aquilo que é objeto de nossa reflexão. É preciso que nós nos convençamos das idéias que pretendemos expor aos outros, O texto aqui comentado não se desenvolve porque o autor não se propõe posicionamentos nem reflexão. É preciso buscar os pontos problemáticos do tema, aqueles capazes de suscitar a polêmica. Ao problematizar o tema, as idéias surgem. Depois, o trabalho é selecioná-las e hierarquizá-las.

A linguagem, por sua vez, deve abandonar o tom informal e, com o máximo de precisão e correção gramatical, contribuir para a articulação das idéias. 

Tema atual

Que fazer para a Copa do Mundo de 2014 beneficiar o Brasil?
Desde 2007, quando a FIFA anunciou o Brasil como sede oficial da Copa do Mundo de 2014, a polêmica começou: estamos preparados para sediar um evento mundial desse porte? Será que tanto investimento valerá a pena? Mesmo diante das controvérsias, o brasileiro tem acompanhado com ansiedade os preparativos para essa grande festa do esporte que acontecerá daqui a três anos: construção e reforma de estádios, obras de infraestrutura... Apesar de muita gente ser contra a Copa no Brasil, esse é um fato já decidido. Assim, o necessário agora é descobrir a melhor forma de fazer a Copa do Mundo de 2014 ser proveitosa para a economia e a sociedade brasileira. Por isso, queremos saber sua opinião para a seguinte questão: O que deve ser feito para que a Copa do Mundo de 2014 traga bons frutos ao país? Elabore um texto dissertativo, que responda à questão acima. Leia os textos da coletânea e aproveite as informações que achar relevantes.

Observe estes outros textos corrigidos:

Redação

Aluno:***
Idade:***
Colégio:***

NOTA 10,0

O que fazer?

A possível ameaça oferecida pelas variantes lingüísticas à norma culta alimenta debates na sociedade. A depender da intenção da fala e do interlocutor, flexibilizar a formalidade da linguagem favorece ao discurso. Entretanto, há quem afirme que essa maleabilidade linguística empobrece a língua padrão e propicia o falar errado. Então, como a escola deve se posicionar quanto ao ensino da língua?

As instituições educacionais visam à formação de cidadãos capazes de compreender a realidade em que vivem e atuar na sociedade. Para tanto, é importante dominar a língua-referencial, com o fim de ampliar as possibilidades de comunicação, assim como considerar as variantes linguísticas, reveladoras da individualidade humana e características inerentes à sociedade de classes. Faz-se necessário, por isso, um ensino formal que respeite as singularidades.

Contudo, conciliar a instrução da norma culta com o uso das variantes linguísticas pode viabilizar os preconceitos lingüísticos. A eleição de uma língua-modelo representa, diante disso, a redução das desigualdades interpessoais, uma vez que a fala denuncia padrão socioeconômico, nível intelectual, naturalidade. Nisso se aplica a frase de Franz Kafka: ?A única coisa que temos de respeitar, porque ela nos une, é a língua?.

Portanto, é dever da escola ensinar a norma culta sem desmerecer as variações da linguagem. Conhecê-las e utilizá-las adequadamente confere competência linguística ao seu professor, mas indissociar uma de outra dificulta o relacionamento interpessoal. Enfim, é necessário tolerar o saber individual e limitar seu uso ao comprometimento da língua padrão.

Comentário geral

Ótimo texto: ideias coerentes, bom vocabulário, sequência articulada e com uso de conectores textuais. Por isso a redação levou nota máxima.

Aspectos pontuais

1) Terceiro parágrafo: a escolha vocabular está inadequada, pois viabilizar tem conotação positiva, indica esforço para que algo aconteça, o que não parece ser o caso do preconceito.

Competências avaliadas

1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.2,0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.2,0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.2,0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.2,0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.2,0
Total 10,0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório   Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom    Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular